Entre altos e baixos, o Paysandu chegou à mais uma final de Copa Verde. Na noite desta terça-feira (18), no Mangueirão, o Papão sofreu no primeiro tempo, mas conseguiu a virada na etapa final e venceu o Santos-AP pelo placar de 3 x 1. (Veja como foi o lance a lance do jogo)

O Peixe da Amazônia saiu na frente nos primeiros 45 minutos, de pênalti, com Fabinho. O empate do Papão veio com Hayner, já na etapa final. Diogo Oliveira e Alfredo sacramentaram a vitória e a classificação bicolor para mais uma decisão.

Agora os bicolores irão aguardar o vencedor do confronto entre Luverdense-MT e Rondoniense para conhecer o seu adversário. A final da Copa Verde está prevista para os dias 26 de abril e 17 de maio.

O JOGO: Vaiado. Assim a torcida do Paysandu levou os jogadores do clube alviceleste para o vestiário no primeiro tempo. Com uma exibição fraca, o Papão esteve muito aquém da expectativa criada pela Fiel antes da bola rolar.

O time comandado por Marcelo Chamusca até começou tomando a iniciativa, atacando na base do “abafa” e esboçando pressão no entorno da grande área do Peixe da Amazônia, mas faltou capricho no último passe antes da finalização.

O Santos-AP, então, se aproveitou de lance polêmico na área bicolor, em que o árbitro viu toque de mão do zagueiro Gilvan e marcou pênalti. Fabinho foi para a cobrança e abriu o marcador no Mangueirão. 1 x 0.

Nervoso, o Bicola errou muitos passes e deixou o torcedor ainda mais insatisfeito, indo para o intervalo em desvantagem no placar e sob protestos da galera.

Na volta a campo, porém, a atitude foi totalmente diferente, embora o brilhantismo técnico ainda fosse algo distante. Com mais disposição, o Paysandu foi para cima do Santos e praticamente não deu a bola ao adversário.

O gol de empate não demorou para sair, veio em jogada “chorada” após chute do lateral Hayner que desviou no zagueiro e matou o goleiro Axel, que não conseguiu defender. 1 x 1.

A torcida, que antes cobrava e estava insatisfeita, voltou a apoiar Chamusca e seus comandados. A ajuda surtiu efeito e o segundo gol chegou em uma bela finalização do meia Diogo Oliveira, que colocou o Papão na frente do placar. 2 x 1.

De quebra, o Peixe da Amazônia teve Balão Marabá expulso por reclamação. O Bicola, que não tinha nada a ver com isso, ainda marcou mais um, dessa vez com o atacante Alfredo, que fechou a conta no Mangueirão. 3 x 1.

PÓS-JOGO: Confira abaixo as entrevistas coletivas com o técnico Marcelo Chamusca e o meia Diogo Oliveira.

(Marcelo Chamusca – Via Ascom/Paysandu)

 

(Diogo Oliveira – Via Ascom/Paysandu)

FICHA TÉCNICA:

Paysandu: Émerson; Ayrton, Perema, Gilvan e Hayner (Willian Simões); Augusto Recife, Wesley, Jhonnatan (Rodrigo Andrade) e Diogo Oliveira; Bergson e Alfredo (Will).

Santos: Axel; Diego, Jeferson, Diney e Batata (Bruno Moraes); Lessandro, Bruno (Talyson), Balão Marabá e Rafinha; Fabinho e Luciano (Jean Marabaixo)

Gols: Hayner, Diogo Oliveira e Alfredo (Paysandu) / Fabinho (Santos)

Estádio: Mangueirão, Belém (PA)

Hora: 20h30

Árbitro: Antônio Neuricláudio Lopes

Auxiliares: Renê Carvalho e Fábio Pereira

Renda: R$ 202.700.00
Pagantes: 9.534
Credenciados: 1.320
Total: 10.854

(DOL)