Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o coronel aposentado da Polícia Militar Antônio Carlos Nunes, 80, já está na Rússia e demonstra muita confiança no hexacampeonato mundial.

Ontem, ele participou de reunião do Conselho Conmebol na capital russa que contou com a presença do presidente da Fifa Gianni Infantino e mandou um recado. “Eu disse ao Infantino que ele pode preparar a taça para o Brasil. Eu quero levantar a taça”, disse Nunes em um rápido bate-papo com os jornalistas após sair da reunião.][


Ele também deu uma alfinetada na Áustria e nos zagueiros que foram violentos com Neymar na vitória da seleção brasileira por 3 a 0 em amistoso neste domingo (10), em Viena. “A Áustria achou que iria fazer frente, porque ganhou da Alemanha [2 a 1]. Mas não deu para a saída. O zagueiro está procurando o Neymar até agora”, disse o cartola.
Nunes viajará agora para Sochi, onde nesta terça-feira terá um encontro com a seleção brasileira e posará para foto oficial. Lá também estará Rogério Caboclo, que assumirá a presidência da entidade no próximo ano. Caboclo é chefe da delegação no Mundial e já está na cidade litorânea que é a casa da equipe nacional.
Depois, Nunes voltará a Moscou para participar do Congresso da Fifa amanhã. A reunião definirá a sede da Copa de 2026. Nunes, como integrante do Conmebol, votará na candidatura United-2026, composta por Canadá, Estados Unidos e México. O Marrocos é o outro concorrente. O presidente da CBF também confirmou informação dada pela entidade sul-americana de apoio unânime a Infantino na eleição presidencial da Fifa de 2019.

CORRUPÇÃO
Nunes comanda a CBF desde 15 de dezembro de 2017, quando Marco Polo del Nero recebeu da Fifa a suspensão provisória de 90 dias.
Em 27 de abril, a entidade o baniu definitivamente do futebol após considerá-lo culpado de corrupção por receber propina na venda de direitos de transmissões de competições. Além disso, foi multado em 1 milhão de francos suíços (R$ 3,5 milhões na cotação da época).
Del Nero não viaja para fora do país desde 2015, quando eclodiu o escândalo de corrupção na Fifa. Por isso, o Brasil não teve seu principal dirigente no sorteio dos grupos da Copa, em 1º de dezembro do ano passado.
O funcionário da CBF de grau mais elevado presente no evento foi Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF. Porém, antes de receber a punição definitiva da Fifa, Del Nero conseguiu articular a eleição de Rogério Caboclo como presidente.
A eleição aconteceu em 17 de abril com Caboclo como candidato único. Agora na Rússia, tanto Nunes quanto Caboclo estão tentando uma aproximação com a Fifa e uma melhoria na relação com a entidade.

(FolhaPress)

2 COMENTÁRIOS

  1. O show de trapalhadas de coronel Nunes, presidente da CBF, na Rússia
    Um dia depois de papo constrangedor com jornalistas, substituto de Marco Polo Del Nero “trai” parceiros da Conmebol em eleição SOCHI – Se em campo a seleção brasileira de Tite vai muito bem, obrigado, a mais alta cúpula da CBF vem dando um vexame atrás do outro. A esculhambação da cartolagem nacional está hoje personificada em Antônio Carlos Nunes de Lima, o coronel Nunes, que assumiu a presidência da entidade após o banimento de Marco Polo Del Nero. Em solo russo para acompanhar a equipe na Copa do Mundo, o ex-coronel paraense admitiu que jamais imaginou estar, aos 80 anos, no cargo que ocupa. E, totalmente despreparado, vem colecionando trapalhadas, uma delas com possíveis consequências políticas: uma “traição” ao voto conjunto da Conmebol para a sede da Copa de 2026.

  2. Também comentou sobre o fim “daquela URSS”, se disse íntimo do presidente da Fifa, Gianni Infantino, e exaltou seus feitos de quando era cartola do Paysandu – “carreguei aquele clube nas costas.” o que será que ele fez pelo paissandu que os jornalistas da clube que gostam de gabar o tel digam

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui