Paysandu vai precisar vencer o jogo de volta, contra o Independente, segunda-feira (8), na Curuzu, com diferença de três gols para ir à final do Parazão. Com a vitória de ontem, no jogo de ida por 3 a 1, no Navegantão, em Tucuruí, o Galo colocou um dos pés na final da competição. O time do interior pode se dar ao luxo de poder perder por até um gol de diferença que avançará à final. Caso o Papão vença por 2 gols, a decisão será nos pênaltis.

O revés custou ao Papão a perda da invencibilidade de 10 jogos que tinha no Estadual. O zagueiro Dedé acabou se constituindo no herói da partida ao anotar dois dos gols do time da casa. Com tanta chuva em Tucuruí, as equipes tiveram de enfrentar um adversário extra: o gramado alagado do Navegantão, que em estado normal já não é nenhum “tapete”. As equipes, claro, tinham dificuldades em trocar passes.

Apesar da adversidade, o Papão era superior. Melhor distribuído em campo, tinha mais força ofensiva enquanto o Galo se limitava à defesa. A partida, tecnicamente, não existia, com muitos chutões e, quando possível, bolas alçadas na área, principalmente dos donos da casa.


A partida não tinha jogadas de efeito, ruim de se ver, sem brilho. Até que aos 20, Elielton sofreu pênalti. Paulo Rangel cobrou e Redson, se esticando todo, evitou o gol. Até então a melhor chance do jogo. Após o lance, o Galo equilibrou as ações do jogo, que seguia enfadonho. Mas, aos 47, Mota saiu do gol e cometeu pênalti em Joãozinho. O próprio atacante cobrou e abriu o placar. Galo 1 a 0. Era o final do primeiro tempo.

Sem dar bola à vantagem que tinha, o Galo voltou ampliando o placar. Aos 7, Mocajuba cobrou falta, Dedé subiu entre quatro bicolores e, de cabeça, mandou a bola pra rede, fazendo 2 a 0. Após o gol, o Papão entrou em parafuso, se desarrumando todo. A lucidez bicolor só voltou tempos depois, levando Nicolas a diminuir a vantagem do Galo. Diego, aos 20, cruzou a bola na área, a zaga parou e Nicolas, de cabeça, mandou a bola para o fundo do barbante.

A chuva que havia diminuído de intensidade voltou a cair forte, prejudicando ainda mais o gramado, que parecia uma piscina. O Papão era melhor, mas o Galo não se deu por vencido, procurando explorar os contra-ataques. Em novo lance de falta, com os mesmos personagens, o time tucuruiense definiu o placar aos 39 minutos. Numa cópia autenticada e reconhecida, Mocajuba cobrou falta, Dedé subiu com Nicolas e, de cabeça, fechou o “caixão” bicolor, fazendo Galo 3 a 1.

(Nildo Lima/Diário do Pará)

1 COMENTÁRIO

  1. deixa eu te contar: tinha que ser o sr nildo lima pra fazer uma materia como esta, o paysandu joga futebol, e não polo aquatico, como o joão cunha falou no programa das 18:00, laudo pra se liberar estadio teria que começar com o gramado de jogo, e não so em suas dependencias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui