O presidente do Náutico, Edno Melo, reagiu com indignação à notícia de que o Náutico sofreu uma punição inédita no futebol brasileiro por supostamente não cumprir o mecanismo de solidariedade da Fifa, antecipada pelo Globoesporte. O dirigente acredita que o clube está sendo vítima de uma manobra para desestabilizar o elenco, no momento que o Timbu se prepara para duas decisões contra o Paysandu. Edno acusa o ex-presidente da CBF.
 “O presidente da CBF, Coronel Nunes, é torcedor declarado do Paysandu. Foi presidente do Paysandu, foi presidente da Federação Paraense de futebol. Aí vem uma punição dessa, do nada. Uma coisa de mecanismo de solidariedade? Veja, você não um pouco estranho não isso?”, indagou à reportagem do Superesportes, nesta sexta-feira. “Essa semana e a outra vai ser todinha disso aí. Isso é só para desestabilizar o grupo. Mecanismo de solidariedade? Vai ser uma coisa inédita. Num momento tão decisivo. Isso aí está claro que é para desastabilizar o grupo. Está claríssimo”, continuou.
Na verdade, o atual presidente da CBF é Rogério Caboclo, que é torcedor do São Paulo. Coronel Nunes foi o seu antecessor, ficando no cargo de 15 de dezembro de 2017 (quando Marco Polo del Nero foi afastado do futebol acusado de corrupção) até 9 de abril deste ano, quando Rogério Caboclo foi empossado.
Edno Melo disse que o clube não foi notificado. Declarou, ainda, não ter ideia a que transação se refere a punição. “Não tenho nem ideia do que seja. É uma notícia tão plantada, tão direcionada, que você vê que estão procurando alguma coisa para destabilizar. Uma coisa dessa não pode aparecer do nada. Colocar o mesmo árbitro que errou duas vezes contra a gente?”, indagou.
Neste caso, o presidente alvirrubro se referiu às falhas cometidas pela arbitragem no duelo de ida contra o Bragantino, no ano passado, no mata-mata do acesso. Com dois gols irregulares, o time paulista venceu o confronto por 3 a 1 e, com a vantagem, conquistou o acesso ao empatar em 1 a 1 o jogo de volta na Arena de Pernambuco. O árbitro do jogo de ida em 2018, Anderson Daronco, também vai apitar o jogo de ida do mata-mata do acesso deste ano, contra o Paysandu, neste domingo, no Mangueirão.
Por fim, apesar da indignação com a notícia da punição, o presidente alvirrubro mostrou confiança no acesso do Náutico. “Estão com medo do jogo. A gente vai ganhar lá (em Belém) e vai ganhar aqui (nos Aflitos). Estão com medo. Todas as armas que tiverem, vão usar. Esse tipo de expediente, a gente está blindado para isso. Vamos esperar uma guerra lá. E vamos prontos para uma guerra. Não tem problema nenhum”.


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui