Foto: Divulgação

A McLaren contratou o ex-campeão da Indy, o brasileiro Gil de Ferran, como mentor de Fernando Alonso, no caminho de sua preparação para a grandiosa estreia na Indy 500 agora em maio.

Alonso disse que De Ferran, vencedor da Indy 500 em 2003 e duas vezes campeão da IndyCar, será seu “trainador”.

O bi-campeão da F1 disse: “Tenho certeza que será muito útil para todas as coisas novas que preciso aprender.”

De Ferran disse à ‘BBC Sport’: “Vou fazer sua introdução ao ‘speedway’ e suas particularidades.”

Indianapolis é um desafio muito diferente de um GP de F1. A corrida é de 200 voltas num “superspeedway” (super oval) de 2,5 milhas (4 km) com quatro curvas à esquerda e uma velocidade média de volta de cerca de 230 mph (370 km/h).


Alonso, que fará sua estreia na Indy 500 em 28 de maio para a equipe Andretti Autosport-Honda, disse estar ciente das dificuldades de adaptação às corridas em um oval de alta velocidade como Indianápolis.

Durante sua visita à IndyCar, durante o GP do Alabama no último domingo, Alonso disse: “Eu acho que é muito diferente. É desafiador … o nível de downforce, o sentimento com o carro, correndo com um carro que não é simétrico na reta, na frenagem. Tráfego eu penso ser uma das maiores preocupações.”

De Ferran é embaixador da Honda. A maior parte de sua carreira na IndyCar ele correu com motores Honda e quando foi diretor esportivo da própria equipe de F1 de 2005 a 2007.

O brasileiro de 49 anos cresceu nas corridas de estrada na Europa, conquistando o campeonato britânico de Fórmula 3 de 1992, antes de se mudar para os EUA. De Ferran é o detentor do recorde mundial de velocidade em circuito fechado, com a marca de 241,428 mph (388,45 km/h) numa volta no oval de Fontana, na Califórnia, em 2000.

Alonso, que não ganhou uma corrida na F1 nos últimos quatro anos, decidiu tentar ganhar a ‘Tríplice Coroa’, ou seja, o GP de Monaco de F1, a Indy 500 e a 24 Horas de Le Mans antes de se aposentar.

Mas ele também deixou claro que sua prioridade continua sendo a F1, onde ainda espera conquistar o terceiro título mundial.

“Se eu quiser ser o piloto mais completo do mundo ou o melhor piloto do mundo, então eu preciso experimentar todos os carros diferentes e técnicas de condução diferentes, e quero me adaptar e crescer como piloto”, disse Alonso.

“E se eu quiser fazer isso, preciso ganhar e, se não for este ano, precisamos planejar para o próximo”.

Ele acrescentou que sentiu que o salto da F1 para Le Mans não é tão difícil: “Alguns dos pilotos de F1 que vão para um carro de Le Mans, não têm dificuldades em termos de adaptação.”

“As 24 Horas são um pouco diferentes da Indy 500. É uma corrida mais tranquila, você pode fazê-la com uma idade mais avançada.”

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui