Belém, Pará, Brasil. Bola. Jogo entre Paysandu 1 x 1 CRB válido pela Copa do Brasil. 19-02-2020. Foto-Wagner santana/Diário do Pará.

Mais uma vez esse ano, o CRB-AL desclassificou em Belém um time paraense da Copa do Brasil, Independente e Paysandu respectivamente. Pela quarta vez em menos de um ano, o Papão perde uma classificação ou um título em cobranças de penalidades. As equipes paraense e alagoana empataram em 1 a 1 ontem à noite na Curuzu. Nos pênaltis, o Galo da Pajuçara levou a melhor por 5 a 3 e se classificou para a terceira fase da competição nacional. Ao Paysandu, resta focar-se no Campeonato Paraense.

É quarta vez em menos de um ano que os bicolores são eliminados da mesma forma em decisões. Relembre as outras três:

Em abril de 2019: eliminado pelo Bragantino na disputa do terceiro lugar do Parazão. 

Em setembro de 2019: a derrota para o Náutico na luta pelo acesso à Série B.


Em novembro de 2019: pela final da Copa Verde o Cuiabá venceu no tempo normal no Mangueirão, levou a partida para as penalidades e venceu no jogo marcado pela cobrança de Caíque.

A síndrome dos pênaltis bicolores aconteceu, justamente, numa partida em que o Paysandu foi superior. Se no primeiro tempo pode haver alguma discussão sobre equilíbrio entre as equipes, no segundo o time da casa foi absoluto, com bola na trave e chances de cara com o goleiro. O CRB não chegou a ameaçar em nenhum momento e valeu-se da experiência de sua equipe para conseguir segurar o resultado.

Os dois gols de ontem saíram nos minutos finais da etapa inicial. Aos 45, o atacante Léo Gamalho abriu o placar em cobrança de penalidade muito contestada pela torcida presente ao estádio. Dois minutos depois o meia-atacante Vinícius Leite cobrou falta na área, a bola bate em Uilliam e sobrou para o volante Caíque Oliveira empatar da pequena área.

Com a desclassificação, o clube paraense deixa de ganhar R$ 1,5 milhão de cota da Copa do Brasil. O Paysandu já havia garantido R$ 1,2 milhão pela participação e por passar da primeira fase. Nas penalidades, todos os cinco cobradores do CRB conseguiram converter: Erick, Igor, Léo Gamalho, Jatobá e Longuine. Pelo lado bicolor, Alex Maranhão, Tony e Elielton acertaram suas cobranças. O zagueiro Micael teve seu pênalti defendido pelo goleiro Edson Mardden.

ATUAÇÃO ELOGIADA

Bola para frente. Hélio dos Anjos não chegou a usar literalmente a expressão, mas esse é o pensamento do treinador. Com o Campeonato Paraense até o início da Série C, ele lamentou a desclassificação ao mesmo tempo em que elogiou a atuação da equipe. “Não gosto de aprender perdendo. Isso não é comigo”, disse. “Mais uma vez perdemos nas penalidades. Jogamos pra caramba diante de um adversário com muito mais investimento que o nosso. Jogamos como tínhamos que fazer, em nenhum momento ficamos à mercê do adversário”, disse Hélio. “O Paysandu é grande independentemente do adversário e de onde está. Estou muito consciente que fizemos de tudo para vencer. Tentamos de todas as formas possíveis, tivemos um jogo de muita intensidade”, finalizou.

EM DEFESA DE MICAEL

O comandante bicolor fez questão defender seu capitão. O zagueiro Micael teve a penalidade defendida pelo goleiro adversário, o que foi decisivo a favor do CRB. “O jogador que perdeu a penalidade é um exímio cobrador. Além de ter personalidade”. Hélio dos Anjos ressaltou a atuação de seu zagueiro e do sistema defensivo bicolor. “O jogo do Micael foi sensacional. Ele não errou uma jogada só, foi quem mais tocou na bola na saída de jogo, ele o Perema neutralizaram as jogadas em nossa área. A torcida ficou chateada, mas ninguém está mais chateado que nossos jogadores. Não tiro a minha responsabilidade, mas houve um desequilíbrio fora dos dois times”.

Para bicolores, time foi prejudicado ontem à noite
Para bicolores, time foi prejudicado ontem à noite Wagner Santana/Diário do Pará

 

1 COMENTÁRIO

  1. Caros torcedores do Papão, assistir pela Tv mais uma vez o jogo do nosso papão, não assisto ao vivo pq mora em outro estado. O que eu nós vimos ontem contra o CRB principalmente no primeiro tempo a reprise do jogo contra o REMO ou seja nada de futebol. concordo que não foi pênalti contra o nosso Papão, mas teve a luz de empatar antes do intervalo. mas o time não tem nada de conjunto não consegue dar sequencia nas jogadas por excesso de passes errados. Não tem uma triangulação pelas laterais do campoa (avisem ao treinador, que o nome já diz triangulação é composto por 3 jogadores) o maximo que se via eram 2, o meio de campo joga espaçados um do outro, o centro avante muito bom porem fica isolado, não tem ninguém pra tabelar ou vim de trás pra ele fazer o pivô. Ontem vi que tem jogadores capazes de formar um bom time mas com um treinador que saiba montar. Outra coisa Penalti é treinamento não é sorte não. Agora o goleiro do Papão pode até ser bom, mas em penaltis ele deve ser fã ou treinou com o mesmo preparador de goleiro do MURALHA não sabe fazer leitura e nem tomar decisão nas cobração escolhe um canto e se joga. o zagueiro que perdeu o penalti tem 2 m de altura 1,70 de largura um pé 54 cm, e o chute de uma criança de 4 anos. zagueiro é porrada na bola quer colocar mais não sabe. Com esse treinador não vamos a lugar nenhum ou muda enquanto ta em tempo ou vamos chorar qdo começar a Sésrie C. Depois não digam que não foram avisado

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui