Ao analisar a atuação do Paysandu, o técnico Marquinhos Santos admitiu que seu time deixou a desejar, sobretudo no primeiro tempo, quando permitiu ao adversário construir a vitória, marcando os gols do jogo. “Fizemos um primeiro tempo irreconhecível, muito abaixo, e o gol, logo no início, com dois minutos, acabou desestruturando a equipe, que perdeu a concentração”, avaliou. De acordo com o treinador, o Papão se encolheu após o gol e aí teve dificuldade para “acordar” em campo. “Depois do gol, baixamos muito e demoramos a voltar para o jogo”, reconheceu.

Apesar da apresentação apática da equipe, como de costume, Marquinhos, talvez na tentativa de segurar o emprego, ainda tentou amenizar a ineficiência de sua equipe. “Não faltou luta e entrega, o que faltou mesmo foi atenção. Mas não dá para lamentar e sim valorizar a entrega dos jogadores”, abrandou. O segundo gol, na avaliação do treinador, acabou sendo determinante para o tropeço do time, que, com a derrota, caiu para a 13ª colocação na Série B. O comandante bicolor lamentou o fato do ataque, se é que se pode chamar assim, de sua equipe não ter funcionado. “Tivemos situações para fazermos os gols, mas não tivemos competência necessária para fazê-los”, acusou.


(Nildo Lima/Diário do Pará)

1 COMENTÁRIO

  1. Será que tem algum torcedor do Papão ou da imprensa paraense que acredita nesse time fajuta sem qualidade tecnica, sem determinação tatica, sem nada x nada consiga ficar entre os 10 primeiros colocados? Não acredito que exista, desse time do Papão na minha avaliação eu só ficaria pro ano que vem com o zagueiro Ivo, e Andrade cabeça de área que veio das bases.O resto pode mandar embora sem medo de errar, Essa camisa tem tradição não é quaquer perna de pau que pode vestir, só esses dirigentes BuBu, que contratam através de empresário e vídeos, que empurram qualquer pernas de paus para dirigentes burros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui