epois de ter carimbado sua ida à final do Campeonato Paraense, contra o Remo, ao eliminar, no sábado, o Bragantino, nos pênaltis, o Paysandu já tem hoje uma nova semifinal pela frente, desta vez valendo pela Copa Verde, diante de um adversário, teoricamente, mais difícil de ser batido: o Manaus-AM. O confronto com o fantasma do torneio, que já fez vítimas jogando fora de seus domínios, será às 19 horas, na Curuzu, com a partida de volta marcada para o dia 11 de abril, em Manaus, quando será conhecido o adversário de Luverdense-MT ou Atlético-ES, que fazem a outra semifinal da competição interestadual.

O duelo com o Gavião do Norte, alcunha do Manaus, será apenas mais um da etapa de decisões vivida pelos bicolores, que ainda terão na primeira quinzena do próximo mês mais duas partidas contra o maior rival, o Remo, valendo o “caneco” do Estadual. Mas, na Curuzu, a ordem passada pelo técnico Dado Cavalcanti é evitar colocar a carroça adiante dos bois, com o grupo mantendo o foco em cada adversário por vez. Assim, a decisão contra o Leão, pelo menos por enquanto, está sendo deixada em segundo planos pelos bicolores, com o Manaus sendo o adversário a ser batido.

A vitória no tempo normal, ratificada nas cobranças de tiros livres da marca do pênalti, contra o Bragantino, injetou uma dose maior de motivação na equipe bicolor para o confronto pela CV. “Não tenho dúvidas de que a nossa equipe saiu fortalecida para os próximos jogos”, avaliou Dado, que tem ao menos uma preocupação: o desgaste sofrido pelo grupo que comanda nos jogos contra o Braga. “Foram duas batalhas nas quais fomos muito exigidos”, admite o treinador.

SOBRE O MANAUS


Conhecedor da CV, competição em que foi campeão, em 2016, dirigindo o próprio Paysandu, Dado admite que sua equipe não terá missão das mais fáceis frente ao Manaus. “É um time ‘cascudo’, formado por jogadores experientes, acostumados a decisões”, elogia. O Gavião já eliminou o Remo e o Rio Branco-AC, decidindo fora de casa, o que serve de alerta aos bicolores.

TORCIDA SERÁ O 12° JOGADOR

Os jogadores do Paysandu entram em campo, hoje, esperando ter dos torcedores a mesma recepção que tiveram na partida passada, contra o Bragantino. Dado e seus comandados esperam um estádio lotado, quando a fiel jogando com o time os 90 minutos, como fez diante do Tubarão. O goleiro Marcão, por exemplo, confia na participação do torcedor, como 12º jogador do time nessa nova fase decisiva para o time.

“O que eles fizeram (contra o Bragantino) realmente nos deu uma grande ajuda”, disse. “Tenho certeza que com a classificação no Estadual e o apoio do torcedor, vamos fortes para esse primeiro jogo contra o Manaus”, previu. O volante Nando Carandina, um dos principais jogadores do time na partida contra o Braga, é outro que conta com o público.

“O torcedor foi importante pra gente e vai ser mais ainda nos outros jogos decisivos que estão vindo por aí”, disse. A primeira dessas decisões será contra o Manaus-AM. Em seguida virão os clássicos com o Remo, que apontarão o campeão paraense. “São jogos difíceis, mas com certeza, a vitória que tivemos, revertendo o resultado que a gente tinha sofrido, nos dará mais força, ainda mais com o apoio dos nossos torcedores”, diz o atacante Walter.

MANAUS DESFALCADO

O Manaus não terá a força máxima de sua equipe, hoje, contra o Papão. O meia grandalhão Hamilton, jogador de quase dois metros de altura, cumpre suspensão e, portanto, não poderá entrar em campo. A notícia, porém, não deve alegrar tanto os bicolores. É que o substituto do titular será Wander, que é apontado pelos torcedores como o talismã do time. Para quem não lembra, foi dele o gol que garantiu o empate por 1 a 1, diante do Remo, no Mangueirão, e a consequente classificação do Gavião do Norte à fase seguinte da Copa Verde, na qual o time amazonense eliminou o Rio Branco-AC.

Wander tem entrado em jogos da equipe, acrescentando um maior toque de bola do time, boas arrancadas ao ataque e, principalmente, assistência aos jogadores de ataque. O meio-campista não esconde o contentamento pelo fato de voltar a ser lembrado pelo técnico Igor Cearense. “Estou feliz pela oportunidade de voltar lá e enfrentar um grande clube que é o Paysandu. Estamos focados para fazer um bom trabalho lá e trazer para Manaus um bom resultado, para no segundo jogo a gente conseguir a classificação”, disse. Igor, mais uma vez, improvisará Derlan na lateral direita, visto que o titular da posição, Tiago Granja, segue entregue ao departamento médico do clube. No mais, a formação do Gavião do Norte deverá ser a mesma que eliminou o Rio Branco, na fase anterior do torneio.

(Nildo Lima/Diário do Pará)

1 COMENTÁRIO

  1. Com esse time que o Papão tem, jogadores com bunda de chumbo, que andam em campo, sem qualidade técnica, sem harmonia defesa, meio campo e ataque? Ganhou do Manaus na merda não por qualidade apesar de ter uma folha salarial de 600,00 mil contra 150,00 do Manaus que é série D do brasileiro, vimos um Manaus guerreiro, que infelizmente perdeu o gol do empate no final. Sou belemense, torço pelo papão mas aqui em Manaus vou na arena da amazonia torcer pelo Manaus que é um clube humilde, porem honra as suas cores. E o Manaus vai ganhar aqui e vai reprentar o Norte. Eliminando Remo e Papão vergonha um serie D eliminar um serie C e outro B. Imaginem esses dois representante do Pará na serie C e B vai ser uma vergonha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui