Diferentemente do empate contra o Manaus-AM, na semana passada, pela Copa Verde, ocasião em que o grupo de jogadores do Clube do Remo enalteceu a postura do time em campo, na derrota de ontem para o Bragantino, pelo Parazão, os atletas foram mais racionais e não arranjaram desculpas para o revés sofrido.

Na realidade, os profissionais acharam justo o resultado final e admitiram que deixaram a desejar. “Não tem desculpa. Não é falta de entrosamento. Nos conhecemos bem, temos recursos, infelizmente deixamos a desejar de novo. Precisamos dar um jeito nisso e vamos atrás do que for necessário para reajustar isso”, disse o volante Geandro.

Na etapa inicial, o Remo esteve afoito em campo, já que saiu atrás do marcador logo aos dois minutos. Dessa maneira, o gol relâmpago sofrido acabou abalando o equilíbrio da onzena, que não conseguiu arrumar a casa para reverter o prejuízo.

“Mexeu muito o gol deles no começo. Não fizemos o suficiente, temos que destacar isso, mas tivemos oportunidades. Pecamos nisso. É difícil correr atrás de resultado, erramos nas finalizações. Mérito ao Bragantino que se portou bem como dono da casa”, disse o zagueiro Martony, que ainda mandou uma bola no travessão.


Estreia azeda

Um dos estreantes em campo, o goleiro Douglas Dias, lamentou o resultado da partida na sua primeira contribuição como atleta azulino. De acordo com o arqueiro, mesmo sofrendo três gols, o baque recai na cabeça de todo o grupo. “É duro levar três gols logo na sua estreia, mas é um resultado do grupo. Tentei, me esforcei ao máximo. O time não conseguiu marcar nas chances que teve. Mas é aquela coisa, tem que levantar a cabeça. É coisa do futebol, uma hora ganha outra perde. Queria ajudar mais, mas hoje (ontem) não foi nosso dia”, avaliou.

Ney da Matta diz que falta é acertar a pontaria! 

Questionado sobre até que ponto suas alterações teriam influenciado na derrota do Clube do Remo por 3 a 2 para o Bragantino, o treinador Ney da Matta foi sucinto ao dizer que o time se portou exatamente como deveria em campo.

Na realidade, conforme analise do técnico azulino, a equipe deu uma resposta boa. Porém, a falta de pontaria dos seus atletas é o que vem sendo o verdadeiro “calcanhar de Aquiles” em campo. Para o comandante, o Remo criou diversas oportunidades para trazer o marcador a seu favor, contudo, sem êxito.

“Encontramos dificuldade para empurrar a bola pra dentro de novo. Não tivemos aquela tranquilidade, frieza. Estamos esbarrando nisso aí. O grupo me deu uma resposta muito boa, não fizemos uma partida ruim. O problema é que quando você perde muita chance, dá chance também para o adversário arriscar e foi o que aconteceu”, disse.

Ainda segundo Ney da Matta, a falha no último toque não é falta de treinamento. Mas sim, algo que está ligado diretamente com o equilíbrio emocional de cada jogador. “O mesmo aconteceu contra o Manaus-AM. Não é falta de treinamento, está faltando um pouco mais de calma para os nossos atletas, cuidado. Perdemos um pênalti, que deu moral para o Bragantino. O time está correspondendo, só está faltando os gols. Temos uma dura partida na quarta-feira e precisamos ajustar isso”, completou sobre o jogo contra o Internacional-RS pela Copa do Brasil.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui