Alegria e tensão. Sorrisos e lágrimas. Raiva, insatisfação, prazer e felicidade. Essa foi a mistura de sentimentos que passou pela cabeça e coração do torcedor azulino na tarde deste sábado, quando o Leão recebeu o Luverdense-MT na tão aguardada reabertura do estádio do Baenão, após cinco anos sem receber jogos oficiais. O Filho da Glória e do Triunfo, entretanto, não honrou o “nome dos pais”. O clube azulino sofreu para garantir um empate no último minuto de jogo.

Os problemas começaram antes dos 10 minutos do primeiro tempo. Sem conseguir se encontrar na defesa, a zaga azulina deu abertura para que Anderson Ligeiro fizesse com que o primeiro gol do novo Baenão fosse justamente do adversário. Menos de dois minutos depois, o Luverdense botou nova pressão e Kauê marcou o segundo da equipe matogrossense.


O time remista deixou o campo no intervalo sob forte vaia da torcida, com exceção o goleiro Vinicius, queridinho da Fenômeno Azul, que foi aplaudido pelas grandes defesas.

No segundo tempo, o Remo começou já botando pressão no Luverdense, que jogava fechado, mas só conseguiu furar a defesa adversária aos 31 minutos, com gol de Marcão, que cabeceou a bola para dentro da rede após cobrança de escanteio.

Com diversas paralisações por falta, jogadores machucados e cartões, o jogo acabou com seis minutos de acréscimo. O Leão aproveitou a oportunidade e Eduardo Ramos fez seu primeiro gol desde que voltou ao Leão, também com uma cabeçada após uma cobrança de escanteio aos 50 minutos.

Com tudo empatado, o Remo consegue se livrar da derrota na reabertura do seu estádio, mesmo desagradando a torcida em diversos aspectos. Com o placar, o Leão se mantém na quarta colocação do grupo, enquanto o Luverdense sobe para a 8ª colocação

3 COMENTÁRIOS

  1. Você como jornalista deve ser imparcial. Quais foram as grandes defesas que o Vinícius fez na primeira etapa desse jogo. Através dessa postura parcial a imprensa esportiva do Pará está perdendo credibilidade. Esse é um desabafo particular, mas tenha certeza que não estou sozinho nessa indignação em relação a vocês.

  2. Qual foi a grande defesa que o Vinícius fez no primeiro tempo? Será que estava no estádio para escrever a matéria, será que ao menos se deu ao trabalho de assistir o VT do jogo caso não estivesse no estádio? Será que viu o jogo ao vivo? É complicado falar o que não viu. Se for jornalista diplomado sabes que toda fala que não está precisa ser referenciada, acho que não viste 10 segundos dos melhores momentos desse jogo, escreveu o que ouviu pela rádio cipó e aí escreveu besteira!

Deixe uma resposta para André Luiz Almeida Barros Cancelar resposta

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui