A torcida do Paysandu, como sempre, fez o seu papel, lotando o Mangueirão e empurrando seu time nos 90 minutos, mas, em campo, o Papão, que só precisava de um empate para levantar a Copa Verde, não fez o seu papel, caindo diante do Cuiabá-MT, no tempo normal, por 1 a 0, gol de Paulinho, e nos tiros livres da marca do pênalti, por 5 a 4. Com a dupla derrota, a equipe bicolor, além do título do torneio, perdeu a invencibilidade de 24 jogos que sustentava na temporada. E mais: R$ 3 milhões pela participação nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2020 viraram lenda. O Paysandu fecha 2019 sem nenhuma conquista, um verdadeiro ano perdido.

O JOGO

Empurrado pela Fiel, o Paysandu iniciou a decisão aceso. O Papão marcava bem, sem dar espaço ao visitante, saindo com frequência para o ataque. Apesar da maior ofensividade, a equipe da casa dava pouco trabalho à defesa inimiga. O Dourado sentia a pressão, sendo “engolido” no meio de campo, onde Wellington Reis e Tomas Bastos apareciam bem. A primeira estocada do jogo aconteceu aos 14 minutos, com Nicolas batendo, fraco, para a defesa do goleiro. Na resposta do Dourado, Felipe Marques, da meia-lua, bateu pelo alto, longe do gol.


O Papão explorava a velocidade de Elielton, pela direita, para chegar ao ataque. Aos 22, a melhor jogada da partida. Tomas Bastos, de fora da área, bateu tirando “tinta” da trave. O Paysandu que tinha a vantagem do empate, era mais ousado ofensivamente. A equipe local seguia pressionando até que, aos 30, numa disputa entre Nicolas e a zaga, a bola explodiu no travessão do Cuiabá. Com Elielton mais vigiado pelo lateral Paulinho, o Papão diminuiu o ritmo de ataque. O visitante aproveitou para tentar o gol com Jefinho, exigindo boa defesa de Giovanni. O último lance da primeira etapa.

O Cuiabá voltou para o segundo tempo com Escudeiro no lugar de Alê. O jogo ficou mais aberto, com as equipe se atacando mutuamente. O Papão voltou a acionar Elielton, enquanto o visitante cresceu no meio de campo. As equipes se entregavam em campo, com muita correria, mas nos poucos lances de real perigo os goleiros estavam atentos, evitando o gol. Numa das investidas do Dourado, Felipe Marques, aproveitando cruzamento da direita, testou para fora.

Faltava o gol bicolor, que até chegou a ser marcado, mas Hygor Silva estava em completo impedimento, sem a menor necessidade de consulta ao VAR. Os times já mostravam cansaço, mas buscavam o gol, até que aos 49, no “apagar das luzes”, o Dourado chegou ao gol da vitória. Escudeiro cobrou falta na área, o lateral Paulinho subiu e testou para a rede. 1 a 0. Nos pênaltis, Caíque Oliveira e Nicolas perderam para o Paysandu e Edinei para o Cuiabá. Final 5 a 4.

(Nildo Lima / Diário do Pará)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui